Voluntariado

Fundadoras do Voluntariado na ABrELA


Em 2000, Maria Grazia Paganone Percussi, sensibilizou-se com a causa defendida pela ABrELA e, vendo que a associação precisava de ajuda, convidou mais duas amigas, Maria Pasetti de Souza e Leonilde Lapetina, para iniciar um trabalho voluntário. Este foi o primeiro passo!

Com o passar do tempo, este grupo cresceu, fortalecendo-se ainda mais, o que resultou em muitos frutos!

As voluntárias realizam vários eventos, durante o ano, que ajudam a ABrELA em duas importantes frentes de trabalho: (1) dar visibilidade à associação e (2) auxiliar na captação de recursos, possibilitando à associação manter seu funcionamento e cumprir sua missão de atendimento às pessoas com Esclerose Lateral Amiotrófica.

Clique aqui e veja a linda reportagem realizada pelo Jornal Maturidades da Universidade Aberta da PUC sobre as damas do Voluntariado da ABrELA e a importante contribuição do trabalho voluntário em instituições brasileiras.


Trabalho voluntário não é coisa de gente santa.
Não é para quem quer mudar o mundo ou ser bem visto. Trabalho voluntário é para quem quer mudar a si mesmo e está disposto a aprender por meio do contato com novos mundos.
É uma excelente ferramenta de empatia, onde o aprendiz ensina mais que o professor. Voluntariar é transbordar de tanto aprendizado e gratidão, é superar dores e desafios inimagináveis, porque vê na história do outro as bênçãos da própria vida.
A nossa maior ligação é humana, feita de respeito e gentileza. Onde existem voluntários, existe a mistura das cores, das classes, das crenças e de passados.
A curiosidade pelo outro alimenta a nossa alma sedenta por sentimentos reais! Voluntariar é doar amor para curar a dor do outro, e sem saber, descobre que esse é o remédio para curar a nossa própria.
Em todos esses mundos eu encontrei um olhar de gratidão profundo, desses que desconstroem quem achávamos que éramos e faz renascer quem realmente queremos ser nesse mundo!!

Marcia Quintella

Como ajudar